início do conteúdo

IFMT lança 2ª Revista de extensão Digoreste

Publicado em: Reitoria / 12 de Março de 2018 às 15:24

A segunda edição da Revista de Extensão Digoreste foi lançada pela Pró-reitoria de Extensão e Inovação (Proex) nesta segunda-feira (12). O volume traz uma seleção de 42 entre mais de 200 projetos e eventos de extensão desenvolvidos nos anos de 2015 e 2016 nos 19 campi do IFMT e traz como identidade visual, o cerrado e os seus encantos.

O reitor Willian de Paula comparou a missão dos irmãos Villas-Boas e do Marechal Rondon ao trabalho de extensão desenvolvido, desde 1909, pelo instituto, que através dos seus campi, centros de referência e pólos da UAB tem a função de levar, através das ações de extensão, informação, inovação e tecnologia aos rincões mato-grossenses.

“Extensionistas que somos desde quando começou a base de sustentação para a instituição que hoje se chama IFMT, faço, através da leitura dos textos da revista uma viagem no tempo ao me recordar das ações extensionistas de Rondon e dos irmãos Villas Boas, que desbravaram as matas e o cerrado mato-grossense e por onde passaram deixaram marcas dos feitos, resultado dos diálogos e da troca de conhecimento e informações, fazendo história”, destacou o reitor.

O pró-reitor Marcus Taques considera fazer extensão dialogar com a comunidade, levar conhecimento a quem realmente precisa, incluindo o indivíduo no mundo do saber e tornando-o cidadão. Para ele, as ações de extensão constituem um processo educativo, cultural e científico que articula o ensino e a pesquisa, viabilizando a relação transformadora entre o instituto e a sociedade.

“Na extensão, a ciência se constrói para e com a comunidade. Por meio dela, servidores e alunos tem consolidado a nossa marca ofertando ações em programas e projetos com um olhar humano, preocupado com o desenvolvimento social do estado. Um olhar inclusivo que por meio do desporto, cultura, arte, cidadania, prestação de serviços, consultorias, capacitações, entre tantas outras ações, tem fomentado a troca de conhecimentos, influenciando e sendo influenciado pela comunidade”, ressaltou Taques.

A Revista - Nesta edição, a Digoreste traz projetos desenvolvidos por diversas áreas, em contextos e desafios distintos, explica o diretor de extensão, Elson Santana. No campo da inclusão social e promoção da cidadania, cursos de Libras dos campi Alta Floresta e Bela Vista, capacitaram mediadores em língua brasileira de sinais, beneficiando pessoas surdas ou com deficiência auditiva, além de orientar e incentivar a inserção social.

O projeto “Replantar é Preciso” do campus Pontes e Lacerda Fronteira Oeste, promoveu o plantio de mudas de espécies nativas na área do assentamento Nossa Terra, Nossa Gente. E em Campo Novo do Parecis, o projeto “Aldeia Bacaval” foi uma iniciativa importante de resgate cultural indígena. Já no centenário campus Cuiabá Octayde, um dos destaques foi o “Edificando o Futuro”, que possibilitou diálogos sobre competências, habilidades e o mundo do trabalho, entre profissionais experientes da área de engenharia civil e os alunos do curso técnico em Edificações.

No primeiro volume da revista Digoreste, publicado em 2016 tendo as belezas do pantanal como identidade visual, foram compilados trabalhos produzidos no período entre 2013 e 2014.

Digoreste - A palavra é uma das tantas expressões da riquíssima linguagem mato-grossense que apresenta um elo entre o passado e o presente, entre o urbano e o rural-ribeirinho. Expressa aprovação e positividade. Quando algo está muito bom, diz-se que está “digoreste”.

Confira na imagem abaixo e em anexo, a revista Digoreste:

Arquivos relacionados

início do rodapé

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - Campus Campo Novo do Parecis

MT 235 Km 12, s/n - CEP: 78360-000

Campo Novo do Parecis/MT